top of page
Humboldt logo.jpg

PROJETO DOE HUMBOLDT - Grupo de doação de livros do Colégio Humboldt, referência de escola internacional alemã no Brasil, localizada em Interlagos (SP), ajuda famílias a economizar na lista de material escolar.

Projeto Doe Humboldt.jpg

Projeto “Doe Humboldt” existe há 12 anos, mas foi ganhando mais adeptos há seis, quando foi criado um grupo de WhatsApp por mães que organizam doações de livros e uniformes e que hoje conta com mais de 350 participantes. Com a iniciativa, a economia de materiais pode chegar a 90%.

Com a proposta de incentivar a doação, promover a reutilização, reduzir os custos do orçamento familiar e conscientizar os alunos a cuidar de seus materiais, em 2011 nascia o projeto de doação de livros do Colégio Humboldt, referência de escola internacional alemã no Brasil, localizada em Interlagos (SP).

Nos últimos seis anos, o “Doe Humboldt” se tornou mais conhecido por meio de um grupo de WhatsApp, em que mães voluntárias atendem famílias do Colégio para as doações. Essa comunicação acontece o ano todo, mas principalmente em dezembro, quando as famílias começam a se movimentar para a compra de livros para o ano letivo seguinte, e em janeiro, no período que antecede a volta às aulas.

 

Quando o projeto começou a tomar corpo, as doações eram recebidas e retiradas nas casas das mães voluntárias. Com o passar do tempo, mais participantes foram aderindo, uniformes também passaram a ser doados e a instituição cedeu um espaço para o armazenamento das doações. Hoje, há um depósito no Colégio para livros e um para uniformes.

 

Na maioria das vezes, as mães Helô Kissling, Ana Hochheim, Flávia Coelho e Karine Kunst se encarregam dos uniformes, fazendo a triagem daqueles que ainda estão realmente em condições de serem usados e preparando os pacotinhos com os pedidos recebidos.

 

O grupo disponibiliza guias por turma, informando quais livros poderiam ser doados, que teriam seu uso continuado e quais deveriam ser comprados, caso de livros novos adotados para o próximo ano ou consumíveis indicados para compra na lista de material.

 

Para participar, a família deve doar livros que ainda façam parte da lista de materiais para o próximo ano letivo, deixando-os devidamente identificados conforme cadastro previamente preenchido em formulário específico, na bancada de “Entrega de Doações”, no prazo estabelecido.

 

As novas famílias também podem receber doações, o que é uma forma de dar as boas-vindas aos alunos.

 

Além dos livros da lista de material, são recebidos muitos outros que não são utilizados pela escola. Estes são separados e, na medida do possível, distribuídos a instituições, bibliotecas e outros. O que não é reaproveitado é reciclado.

 

A mãe Maria Alice Spier, mais nova integrante do grupo, tem feito um trabalho para que esses descartes também sejam bem utilizados, agregando ainda mais valor ao trabalho do grupo.

 

Ao término do prazo estipulado para a entrega das doações, os livros são separados e disponibilizados às famílias para que compareçam ao Colégio e peguem seus volumes, que ficam na bancada de “Retirada de Doações”.

 

“A ideia é fixar prazos para que o máximo de livros esteja disponível, a fim de serem distribuídos ao maior número de alunos inscritos”, diz Renata Pietsch Guilger, ex-aluna e hoje também mãe voluntária, que propôs o uso de ferramentas como formulário e site para ajudar na organização do grupo e possibilitar sua ampliação. “Seguindo nosso exemplo, alguns alunos, filhos de mães do grupo, também nos auxiliam quando podem, nos enchendo de orgulho”, comenta Renata.

 

“A mãe que distribuía livros”

 

A mãe voluntária que deu início ao projeto, Theresa Cristina Beduschi Cianci, comenta que tudo começou quase por acaso, quando uma amiga, mãe de trigêmeos que estudavam um ano anterior ao de sua filha Victória, perguntou se ela se importaria em emprestar os livros que pudessem ser reutilizados por um dos seus filhos no ano seguinte.

 

“Disse a ela que não só não me importaria, como também tentaria conseguir emprestados com outras mães de amiguinhas da minha filha. Assim, quase sem querer, os livros começaram a chegar e passar de uma mãozinha para a outra, de um ano para o outro”, relembra.

 

Ela conta que, no início, as trocas e doações eram no “boca a boca”, nas conversas rápidas ao deixar ou buscar as crianças no Colégio. Hoje, com tantas mães engajadas nessa corrente, a popularidade e procura por doações aumentam cada vez mais. “Ano a ano apareciam mais livros, mais mães passaram a me procurar tanto para solicitar alguns volumes, quanto para oferecer os livros que seus filhos usaram”, reforça. “Acredito que as doações de livros e uniformes têm conseguido a adesão de pelo menos metade das famílias que fazem parte da nossa comunidade escolar. A aceitação e aderência ao projeto vêm crescendo ano após ano.”

 

Na biblioteca, há um cantinho especial de livros, principalmente de leitura, que são colocados para doação e, vez ou outra, apareciam alguns que faziam parte da lista de material de alguma turma. “Sempre que eu sabia de alguma família que tinha filhos que iriam para a série em que aquele livro poderia ser reaproveitado, perguntava se já tinha ou se não precisava. Eu brincava que tinha o filme da ‘Menina que Roubava Livros’ e eu era a mãe que distribuía livros!”, diz Theresa.

 

Doação salva uma matrícula

 

A bancária Cinara Rejane Belter Costa, mais uma voluntária do grupo e mãe de três filhos que estudam no Colégio Humboldt desde 2013, já perdeu a conta de quantos livros conseguiu em doações. “Foi começando de pouquinho e, quando eu soube da ajuda da Theresa com algumas famílias, um dia me pediram para doar ou emprestar os livros que eu não ia usar mais. Pensei: ‘Bom, eu não vou usar mais mesmo.’”

 

Cinara começou a ajudar a pegar livros de mães dos alunos das turmas de seus filhos e mais pessoas começaram a doação. “O meu carro e o porta-malas viviam cheio de livros.”

 

A bancária já chegou a gastar mais de R$ 3 mil na compra de livros. “Hoje, eu só compro se realmente muda o livro, senão, tudo é doação. Absolutamente tudo. Economizo 90%, na lista de livros.” Para ela, as doações fazem muita diferença, principalmente nesta época. “Para uma família que está com o dinheiro contado para pagar a mensalidade, ter os livros de graça é uma bênção. Arrisco dizer que pode salvar uma matrícula dentro de uma escola.”

 

Valorizar e cuidar do material

 

Os professores do Humboldt e as famílias incentivam nos alunos o cuidado com seus materiais. “Falamos para os nossos filhos sobre o dinheiro que se está economizando, que pode ser usado para outra coisa. Então, vamos cuidar para o próximo estudante usar no ano que vem, para ele receber um livro bonito igual ao que recebemos”, conscientiza a mãe voluntária Cinara.

 

Ana Hochheim, mãe de dois filhos que estudam no Colégio Humboldt desde 2015, sempre simpatizou com a reutilização das coisas. Ela costumava comprar os livros no Mercado de Pulgas, evento promovido pelo Colégio na Festa de Natal. No final de 2017, seu filho migrou para o currículo alemão e recebeu doação dos livros de Mathematik e de Biologie, ambos em perfeito estado. “Fiquei superfeliz e agradecida”, salienta. “Desde então, tendo sido convidada para entrar no grupo com o mote de que é muito melhor doar e receber do que vender e comprar. Me candidatei como voluntária e abracei a ideia, com a certeza de que esse era um projeto realmente bacana, uma corrente do bem, de ajuda real às pessoas. É um exemplo para as crianças, de cooperação e cuidado com os livros. O meio ambiente agradece, e o bolso, também”, finaliza.

 

Sobre o Colégio Humboldt :

 

O Colégio Humboldt pertence a uma rede internacional com mais de 130 escolas alemãs no exterior, com excelência acadêmica certificada pelo governo da Alemanha.

 

Com uma infraestrutura completa, de 60 mil m² de espaços de aprendizagem, o Colégio forma cidadãos autônomos, com capacidade crítica e socialmente responsáveis, preparados para admissões em universidades do Brasil, Alemanha ou outros países do mundo – inclusive por meio do certificado de conclusão alemão Abitur –, além da Formação Profissional Dual.

 

Da Educação Infantil ao Ensino Médio, no Humboldt os alunos têm contato com diferentes culturas e a oportunidade de aprender quatro idiomas: Português, Alemão, Inglês e Espanhol.

Colégio Humboldt: https://humboldt.com.br/

Informações para a Imprensa – Colégio Humboldt
COMMUNICA BRASIL

Marcela Martinez - marcela@communicabrasil.com.br

Andrea Funk - andrea@communicabrasil.com.br

Site:   www.communicabrasil.com.br

bottom of page